BRAGANÇANA PRETA

O Monte da Mesquita tem em pastoreio extensivo, vinte e dois animais adultos fêmeas e dois adultos machos ovinos de Raça Churra Galega Bragançana Preta, ovinos inscritos no Livro Genealógico da Raça e em vias de extinção (fotos ao lado).

O nosso sistema de produção durante a maior parte do ano é ao ar livre, pernoitando debaixo do nosso montado de azinho e das nossas oliveiras centenárias.


Durante o período de partos, estes animais, à medida que as crias nascem, os animais são retirados do campo e vivem abrigados sensivelmente durante uma semana, até que as crias enrijem de forma a se poderem defender dos imensos predadores ( águias, saca rabos, raposas, javalis de entre outros).


No Verão, estes animais devido ás elevadas temperaturas, pastoreiam de noite, passando a maior parte do dia em locais arborizados, locais estes escolhidos com a finalidade de lhes proporcionar a máxima sombra possível.


As crias destas geradas, são escolhidas com o máximo de exigência, de forma a selecionar os melhores reprodutores, tanto fêmea como macho, ficando assim como efetivo pecuário. Os restantes cordeiros são comercializados nas épocas festivas.


Em termos morfológicos, tinhamos muito por dizer em relação a esta raça, onde os mais interessados poderão consultar o site www.https://www.sprega.com.pt


Vamos assim só valorizar a lã, para que os nossos hospedes os possam diferenciar dos outros ovinos existentes na exploração com uma certa facilidade.


O velo é pouco extenso, não recobrindo a cabeça, o terço anterior do pescoço, a barriga e os cabos e é composto por madeixas pontiagudas.


A Entidade Gestora do Livro Genealógico é a ACOB - 
Associação Nacional de Criadores da Raça Churra Galega Bragançana.